Translate

02/10/2012

Skinner e a elaboração sistemática do condicionamento operante

A tese de que o comportamento e a aprendizagem de respostas são determinadas pelas suas consequências é uma ideia muito importante no campo da psicologia da aprendizagem. Contudo, foi necessário esperar quase quatro décadas para que a lei do efeito de Thorndike obtivesse reconhecimento generalizado. O mérito pertence em grande parte ao trabalho de Skinner, muito influenciado por Pavlov e Watson. É a Skinner que se deve o estabelecimento dos princípios básicos do condicionamento operante, a sua sistematização e aplicação à educação e a problemas clínicos e sociais.
Autodenominando-se behaviorista, Skinner propôs-se como objetivo fundamental da sua investigação descobrir a forma de medir objetivamente o comportamento.

Descrição de uma das experimentações de Skinner

O primeiro projeto de investigação de Skinner dizia respeito ao comportamento alimentar dos ratos. Utilizou um artefacto por ele próprio construído e que tem hoje o seu nome: «A caixa de Skinner». Colocou dentro um rato com fome. O rato só poderia obter comida pressionando uma alavanca que libertava pequenas bolas de queijo de um recipiente numa das paredes da caixa. O rato começou imediatamente a explorar a caixa e ao fim de algum tempo, acidentalmente, pressionou a alavanca e a comida caiu. Progressivamente, o animal começou a pressionar a alavanca em intervalos de tempo cada vez menores. Segundo Skinner isso significava que aprendeu a obter comida mediante uma resposta condicionada pelas consequências ou efeitos da sua ação (operação) no meio: a obtenção de comida é um reforço que fortalece a tendência para um determinado comportamento (pressionar a alavanca).

A partir desta e de muitas outras experimentações (diga-se que Skinner criou o protótipo de procedimento experimental para outros investigadores nesta área) o psicólogo americano definiu  a tese fundamental do condicionamento operante: um organismo tende a repetir aquelas respostas que têm consequências favoráveis.


Sem comentários:

Enviar um comentário